sexta-feira, 5 de março de 2021

O Efeito Bolsovírus

A ação do capitão cloroquina no enfrentamento à pandemia resultou em um agravamento da crise sanitária e da situação econômica. O quanto, está sendo desvendado pelos cientistas auxiliados pela ciência dos dados. Neste artigo mostra-se, por meio de um gráfico, a sua lógica perversa.


Sua ação, marcada pelo negacionismo anticientífico, contribuiu para aumentar o número de infectados pelo coronavirus e o número dos pacientes que agravam o seu quadro clínico e demandam o internamento em UTIs.

Esse comportamento do capitão, na ausência de um número grande de vacinados e da continuidade das aglomerações, leva ao aumento do número de óbitos, ao colapso do Sistema de Saúde, e por fim, à necessidade de promover severos e inevitáveis “lockdowns”. Estamos exatamente neste momento, em que as taxas de contaminação e de mortes superaram todas as marcas desde o registro dos primeiros casos no início da pandemia. No dia 3/03/2021 foram 1910 óbitos, com tendência de agravamento.

A bandeira do capitão cloroquina sempre foi a de proteger a economia, as empresas, os empregos e a atividade econômica. Mas, na contramão de todos os países e dos demais chefes de estado tomou a direção errada para atingir este objetivo. O infográfico ilustra de forma lógica os seus erros, que se transformaram em crimes. À esquerda, resume alguns de seus comportamentos, fartamente documentados, que inspiram suas ações e decisões. Em seguida, à direita, as consequências desse comportamento, numeradas de 1 a 7. Siga as setas na ordem da numeração das consequências.

O comportamento do capitão o transformou em um aliado do coronavirus, um “bolsovírus”, dando a sua contribuição particular para o aumento do número de infectados e do número de óbitos; a consequência final foi contribuir, ao contrário do que proclama ser a sua intenção, para a mais grave recessão econômica que já presenciamos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário