sexta-feira, 10 de setembro de 2021

O golpe abortado e derrotado

Desde o dia 6/09, e particularmente nos dias 7 e 8 de setembro estiveram aguardando a ordem para avançar até a Praça dos Três Poderes e invadir o STF. O dispositivo da PM colocado para barra-los era suficientemente pequeno para não conseguir impedi-los.


Mas o comando para avançar não veio. O medo não foi desses “operacionais” que estavam dispostos a tudo. O medo estava atrás, na sua cadeia de comando.

Porque pararam? Ou mais importante, porque a ordem de invadir não veio? Porque as Forças Armadas disseram aos golpistas: nós iremos impedir e agiremos em defesa da Constituição, da Lei e da Ordem.

Bolsonaro, se ainda não tinha entendido, compreendeu, finalmente, que o Exército não é “seu”, nem um órgão do Poder Executivo, mas uma instituição de Estado. E, se ainda não entendeu, breve sofrerá impeachment.

Não existe um brasileiro atento na República que tenha dúvida de que, no vértice da cadeia de comando golpista, estava, nada mais e nada menos, o Presidente Jair Messias Bolsonaro!

Ainda hoje, dia 10/09/21, alguns “operacionais” se encontram no Eixo Monumental - embora já tontos, desmoralizados e confusos -, particularmente após a carta escrita pelo ex-presidente Michel Temer, mas assinada por seu líder e mito, em que pede desculpas à nação com o rabo entre as pernas.

É urgente que saiam, pois no dia 12/09 os democratas têm encontro marcado, em frente ao Congresso Nacional, para fazer a sua manifestação em defesa da democracia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário