domingo, 4 de outubro de 2015

A contribuição da Justiça e da Operação Lava Jato para a Democracia Brasileira

Carlos Alberto Torres
Decisões Interativas – 04/10/2015
Teria deixado de ser a situação da economia o fator determinante para explicar e analisar os acontecimentos na política? Afinal, esta é uma longa e respeitada tradição metodológica tanto do pensamento liberal quanto do marxista!
Entretanto, como testemunhamos nos debates nas redes sociais, com claras consequências nas ruas, jamais na história o protagonismo espontâneo dos indivíduos foi tão relevante! Entrou em cena o indivíduo-cidadão, na sua complexidade, subjetividade, diversidade, diferenças de comportamento e dignidade. Os indivíduos, antes dissolvidos em agregados abstratos, como "mercados" e "classes", agora podem ser percebidos de forma concreta por suas faces, nomes e perfis!
Na conjuntura atual, estejamos nós ainda prisioneiros, ou não, desses referenciais teóricos, não podemos deixar de reconhecer a importância da Operação Lava Jato nos acontecimentos políticos. E este vetor vem da ação das instituições jurídicas, e não da economia, respondendo aos clamores, nas redes e nas ruas, de uma nova militância!
Exatamente por isso, esse vetor disputa um papel de centralidade para o avanço da democracia brasileira, criando a oportunidade de acabar com a impunidade dos crimes de colarinho branco.
Ou seja, valores éticos e morais, que afetam os comportamentos individuais, o repudio à corrupção, o respeito à diversidade de gênero e de orientação sexual, e as questões racial, étnica, de nacionalidades, humanitárias, ambiental, etc., levaram os cidadãos à ação, e tornaram-se vetores fundamentais; por isso, tornaram-se candidatos, junto com a economia, a serem fatores determinantes, por vezes os mais importantes, dos acontecimentos na política.
...
Impeachment ou Lava Jato?
Nada como o andar da carruagem para que os brasileiros se deem conta de que o impeachment de Dilma, e a sua substituição por Temer daria, imediatamente, mais poder, não apenas ao PMDB, mas, sobretudo, a Eduardo Cunha e a Renan Calheiros, dois denunciados na Lava Jato. Isto não atenderia ao clamor ético da sociedade!
Um processo de impeachment não pode ser conduzido ao sabor das circunstâncias, apenas para aplacar o cansaço de largos setores da sociedade brasileira com 13 anos de gestões petistas. Ele só se justificará se todas as suas premissas jurídicas estiverem preenchidas, caso contrário ele trará o risco de uma crise ainda maior, política, econômica e ética!
Estratégia mais efetiva é que todos os democratas, de qualquer matiz político, se unam em torno da bandeira de "Toda força à Operação Lava Jato!", para que ela alcance os seus objetivos, doa a quem doer. Os seus resultados são suficientes para lhe dar credibilidade, pois nunca antes neste país tantos criminosos de colarinho branco foram identificados, denunciados, presos, julgados e condenados. Por gravidade, chegaremos a todos os que devem ser julgados, punidos e expurgados da vida pública, e aperfeiçoaremos a legislação anticorrupção!
Com isso, não perderemos a oportunidade que a crise oferece para o avanço da democracia brasileira, a de acabar com a impunidade dos crimes de colarinho branco! Poderemos conseguir dessa crise algo mais importante?
Estaremos dispostos, como brasileiros e cidadãos, a dar esse passo? Estaremos dispostos a assumir essa radicalidade democrática e republicana?

Nenhum comentário:

Postar um comentário