sábado, 10 de fevereiro de 2018

Chutando o pau da barraca

Nada como falar claro, pois o nosso tempo está se escoando.

Não sou filiado a qualquer partido e, portanto, não pertenço a qualquer órgão de direção partidária, assim como a quase totalidade dos que habitam este espaço democrático. Mas isto não me faz sentir-me sem capacidade de influir politicamente.


Faço-o com respeito interpessoal invariável, e sem exceções, com os que diretamente interagem comigo nos debates propiciados no espaço das redes sociais. Como não sou dono da verdade, isto tem me permitido conviver até com opiniões diametralmente opostas às minhas. Penso ser este um ingrediente elementar da convivência democrática. O limite é e sempre será o respeito mútuo ao direito de opinar e pensar diferente.

Mas, como disse, o tempo está se escoando. Precisamos de alternativas aos polos populista e autoritário, como são os representados por Lula e Bolsonaro, que olham pelo retrovisor da história e, por isso, nada têm a oferecer ao país. Julgo que, com esperança e luta, e com vontade cívica e ética, precisamos fazer gestar um novo projeto democrático que aponte para o futuro.

Tenho, entretanto, com dor e pesar, verificado que lideranças nacionais do porte, história e responsabilidade de Fernando Henrique Cardoso e Roberto Freire engajaram-se com determinação na construção da alternativa Huck como candidato a presidente da república. Têm nele a única alternativa? Claro que não! Mas sem eles essa alternativa jamais passará da porteira!

Felizmente, os dias são outros e essas personalidades já não possuem a influência de outrora. Sim, porque estão erradas. O Brasil não quer mais, nem pode, viver de ilusões e auto-engano. Nem tampouco quer ser enganado.

Huck é solução salvacionista. Os que a apoiam o fazem por o julgarem com potencial de sucesso eleitoral. Mas é uma proposta vazia de ideias, de programa, de compromissos confiáveis com mudanças estruturais e, principalmente, com compromissos éticos.

Os que a apoiam não escondem o seu desespero com a mera busca de sobrevivência política, embora a tentem mimetizar como um projeto do novo, que está apenas em suas cabeças, e na dos que, iludidos, passivamente, os acompanham. Mas Huck é apenas uma expressão do que existe de mais velho na sociedade brasileira, e na velha politica, e da qual precisamos nos livrar!

Um comentário:

  1. Obrigado por esta reflexão muito lúcida. Compartilhando agora.
    ass: Fernando J V Senna Jr

    ResponderExcluir